Qual é a função dos ossos nos seres vivos? - Dicas, Aprenda Como fazer, Tutorial e Livros.

Tutomania - Dicas, Aprenda Como fazer, Tutorial...

Login:
Senha:
Salvar |  Cadastre-se

 

Home | Arquivo | Envio | Jogos Online | Política de Privacidade | Contato

Ciência e Tecnologia / Biologia

Qual é a função dos ossos nos seres vivos?


DOCUMENTO:


ESTATÍSTICAS:

Comentários: 0 (Comentar)
Nota: (Dar Nota)
Valor: 10 crédito(s)
Enviado por: marciobmmorais (2069)
Publicado em: 09/05/06 01:00hs.

LINKS PATROCINADOS:

DOCUMENTO:

Se quisermos construir uma boneca, podemos utilizar pedaços de pano - feltro, por exemplo - recortar a cabeça, os olhos e boca, fazer um vestidinho, cortar novamente os braços e as pernas, utilizar lã para fazer o cabelo, mais uma vez recortar os sapatinhos, colar as diferentes parte e pronto, nossa boneca ficou perfeita.

Mas será que ela está mesmo perfeita? Será que conseguiremos colocá-la em pé? Se ela for feita só de pano, é bem provável que não...

A grande maioria dos animais tem uma estrutura firme - o esqueleto -, que dá forma e sustentação ao corpo, que dá apoio aos seus músculos.

Alguns animais invertebrados aquáticos e até mesmo outros terrestres não possuem esqueleto. Você já viu um animal marinho conhecido como água-viva? Assim como a boneca de pano, ela não tem nada em seu corpo que a sustente. Entretanto, ela vive na água, a qual serve de sustentação para o seu corpo.

As vigas do corpo
Se não possuíssemos os ossos que formam o nosso esqueleto, nosso corpo ficaria como o corpo da boneca já mencionada e nós não poderíamos contar com a água para nos sustentar. Os ossos do nosso esqueleto fazem a sustentação do nosso corpo, como as vigas e as colunas fazem a sustentação de uma casa ou prédio.

Nosso esqueleto possui mais de 200 ossos, longos ou curtos, chatos ou redondos. Tocando suas mãos, seus dedos, suas pernas e pés você pode sentir alguns de seus ossos, os quais fazem parte de seu esqueleto.

Às vezes, quando nos alimentamos da carne de outros animais, por exemplo, seja de frango, de porco ou de boi, podemos nos deparar com vários tipos de ossos. Por outro lado, você até já pode ter encontrado o esqueleto de algum animal ao fazer um passeio no campo, por exemplo. Em ambientes selvagens ou rurais, principalmente, podemos encontrar esqueletos de pequenos mamíferos (ratos), aves (passarinhos), répteis (lagartixas) e anfíbios (sapos) com uma certa freqüência.

Externo ou interno
O esqueleto de um animal pode ser externo (exoesqueleto), como uma concha ou como a cobertura do corpo de uma cigarra (exúvia), que muitas vezes encontramos nas árvores na época de crescimento (ecdise) desses animais.

Outros animais, como os peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos, citados anteriormente, possuem esqueleto interno (endoesqueleto). Em muitos casos, o esqueleto é rígido (como nos corais, moluscos e outros), mas em outros é móvel (ouriços do mar, grilos, gafanhotos, peixes, sapos, cobras, pássaros, cachorro).

Esses esqueletos estão intimamente ligados aos músculos. Associadas à musculatura, as articulações funcionam como alavancas para a locomoção, e possibilitam todos os movimentos necessários à vida desses seres.

O exoesqueleto limita o tamanho do animal. Já o esqueleto interno não impõe tantas limitações e, assim, podemos encontrar animais enormes que possuem esqueleto interno como os elefantes, rinocerontes, tubarões e baleias (esses dois últimos ainda têm parte do seu peso sustentado pela água).

Nem só de ossos se faz um esqueleto
Alguns invertebrados unicelulares (protozoários) possuem complicadas estruturas calcárias, silicosas ou orgânicas, que sustentam seus corpos. As esponjas têm lindas espículas microscópicas, fibras do mesmo material que forma as estruturas dos protozoários. Outros animais, como os corais e moluscos, possuem esqueletos calcários, que crescem nas suas margens e ficam mais espessos com a idade do indivíduo.

Os artrópodos, como os crustáceos (camarão, siri) e os insetos (formiga, barata, besouro, mosca, abelha, grilo, aranha) possuem esqueleto de uma substância orgânica (protéica). Esse exoesqueleto é articulado entre as partes do corpo (cabeça, tórax ou cefalotórax, e abdômen) e, nas extremidades, em outras regiões do corpo é rígido.

Para poder crescer, os artrópodos, passam periodicamente por mudas completas do seu revestimento, o esqueleto (como a exúvia da cigarra mencionada anteriormente). Após a muda, antes que o novo esqueleto endureça, o corpo do animal cresce.

Padrão básico
O esqueleto interno dos animais possui um padrão básico comum, apesar de haver diferenças nos tamanhos e formas. O esqueleto desses animais suporta o corpo, fornece pontos de inserção da musculatura e protege o encéfalo e a medula espinhal.

Nos embriões de todos os vertebrados e em algumas espécies (como o tubarão), o esqueleto é formado por cartilagem. O esqueleto dos adultos de quase todas as espécies de vertebrados (desde os peixes ósseos até os mamíferos) são compostos por ossos, com cartilagem apenas nas articulações e em alguns outros pontos (como nariz e orelha).

Ao se falar em esqueleto, não podemos deixar de mencionar o do próprio corpo humano. Com certeza, para todos nós, ele é o esqueleto mais importante que existe. Para compreender como ele é e como funciona, podemos dividi-lo em quatro partes: cabeça, tórax, tronco e membros. Então, vamos descrever cada uma delas:

1) Cabeça
Nossa cabeça possui uma caixa óssea, o crânio, que é mais ou menos esférica. Ela protege a parte mais importante do nosso sistema nervoso, o encéfalo. Essa caixa é constituída por vários ossos que, no indivíduo adulto, encontram-se soldados.

Além do crânio, a cabeça se compõe da face, que contém quatro de nossos órgãos dos sentidos, além do aparelho mastigador, onde se encontra a mandíbula, o único osso móvel dentre os quatorze ossos da face.

A coluna vertebral se encaixa na cabeça e protege a medula espinhal, que é uma continuação ou prolongamento do encéfalo.

2) Esqueleto do tronco
O esqueleto do tronco se compõe de três partes: coluna vertebral, costelas e esterno.

A coluna vertebral é formada por vários ossos conhecidos como vértebras. Cada vértebra possui uma cavidade. A superposição das vértebras forma um canal onde a medula fica alojada. Essas vértebras são unidas por músculos e ligamentos. Entre elas existem discos de cartilagem, que têm a função de amortecedores e diminuir o atrito entre esses ossos. Os discos intervertebrais amortecem os impactos mais violentos, como ocorre quando damos um salto.

As costelas são ossos achatados, que têm a forma de arco. Esses arcos estão presos, em uma de suas extremidades, às vértebras da região dorsal (nas costas) da coluna. São doze costelas no total. Sete delas chegam até o esterno e articulam-se com ele por meio de cartilagem. As três seguintes ligam-se à cartilagem da sétima vértebra e as duas últimas não se prendem a nada. Por isso, são conhecidas como costelas flutuantes.

O osso externo é um osso formado por três partes, alongado e chato, que se situa na frente do tórax, ao centro do peito, e, juntamente com as costelas, protege o coração, os pulmões e alguns dos nossos principais vasos sangüíneos.


Divulgação/HCUSP


3) Esqueleto dos membros
a) Membros superiores:

Os membros superiores estão divididos em cintura escapular, braços, antebraços e mãos. Todos esses ossos nos permitem uma variedade de movimentos muito complexos. A cintura escapular possui a clavícula, um osso longo situado na parte superior do tórax, que se liga ao esterno e à escápula (omoplata). Esta é achatada e está situada nas costas.

O braço é formado por um único osso, o úmero. O antebraço tem dois ossos, o rádio e a ulna. A mão é formada pelo carpo, pelo metacarpo e pelos dedos. O carpo, mais conhecido como pulso, possui oito ossinhos. Os cinco ossos metacarpianos formam a mão. Os dedos articulam-se com os ossos metacarpianos, e cada dedo possui três falanges (apenas o polegar possui duas falanges).

Membros inferiores:

Os membros inferiores estão divididos em cintura pélvica, coxa, perna e pé. Estão diretamente relacionados com a sustentação do corpo.

A cintura pélvica prende ao tronco todos os outros ossos dos membros inferiores. Essa é formada por três ossos: o ílio, o ísquio e o púbis, os quais se soldam depois dos quinze anos, aproximadamente, formando um osso único, denominado osso ilíaco.

Na região posterior (costas), o osso ilíaco está ligado ao sacro, que é formado por cinco vértebras soldadas. O conjunto dos ossos ilíacos, com as duas últimas porções da coluna vertebral - sacro e cóccix - forma a bacia (pelve), onde se articula o fêmur, o maior osso de nosso corpo.

A perna é formada por dois ossos: a tíbia e o perônio. A tíbia articula-se com o fêmur através de um pequeno osso curto, a rótula, que forma o joelho. O perônio, apesar de ser menor que a tíbia, é um osso longo, que se articula na parte superior com a tíbia e, na inferior, também com a própria a tíbia e o pé.

O pé é formado pelo tarso, metatarso e dedos. O tarso possui sete ossos, um a menos que o carpo (da mão). Dois desses ossos fazem a articulação com a perna (tíbia e perônio). O maior osso do tarso forma o calcanhar (o calcâneo).

Os outros cinco ossos são os cubóides, que formam parte do peito do pé. O metatarso é formado por cinco ossos, que são prolongados na frente pelos dedos. Os dedos do pé são cinco e cada um deles possui três falanges. O dedão, assim como o polegar da mão, possui duas falanges.

VEJA TAMBÉM:

COMENTÁRIOS:

Este documento não possui comentários. Prestigie quem o enviou e comente.

Comentar:

Título:
Autor:   Anônimo (Efetue login para comentar identificado)
Comentário:    

OPÇÕES

ENTRE COM SEU LOGIN E SENHA

Olá visitante! Para interagir com este documento, você precisa estar logado.

Login:
Senha:  
Salvar Dados  |  Cadastre-se!

O cadastro é gratis! É muito fácil e rápido fazer o seu cadastro.

Home | Termos de Uso | Sobre o Tutomania | Publicidade | Contato
2005 - 2013 ® Tutomania.